Coronavírus: fim da pandemia? Nações que saem mesmo com casos ainda altos

Header Ads Widget

Ticker

6/recent/ticker-posts

Coronavírus: fim da pandemia? Nações que saem mesmo com casos ainda altos

Restaurantes na França exigem passaporte de vacina logo na entrada
Restaurantes na França exigem passaporte de vacina logo na entrada


Após semanas, longos períodos de casos e sem número de internações e passagens, algumas nações estão facilitando a batalha contra a pandemia de Covid, apesar de um óbvio padrão descendente na quantidade de contaminações.

Reino Unido, França, Holanda, Dinamarca, Espanha, Áustria, Finlândia, Bélgica, Suécia e Suécia entre as nações que estão facilitando regras e procurando "outro comum" para gerenciar a pandemia - com decisões que não obrigam os indivíduos a viver em segregação. .

Em um ponto semelhante, como nos Países Baixos, houve até mesmo uma inclinação para a infecção, pois os especialistas estão sentindo o aperto para limpar a economia, com muitos pontos afirmando que agora as questões produzidas pelo bloqueio e um casal são mais proeminentes do que as feitas. Infeção.

A OMS também alertou que, como a variação do omicron é mais irresistível, contamina mais indivíduos - e isso está provocando uma expansão na quantidade de passes. O elemento encorajou as nações a continuar testando e sequenciando a infecção.

As nações têm apoiado o afrouxamento das ações porque mais indivíduos são inoculados com a terceira parcela - que é vista como mais viável no combate à variação do omicron. Além disso, várias nações estão adotando "papéis de viagem de anticorpos", ou seja, exigindo evidências de inoculação para que os indivíduos vão para ambientes específicos.

A maioria das nações já imunizaram efetivamente mais de 40% de sua população com uma terceira parcela - chegando a mais de 60% às vezes. No Brasil, mais de 20% dos indivíduos obtiveram efetivamente a terceira parcela.

"Estamos um pouco mais certos em dizer que podemos afrouxar uma parte dessas limitações e permitir que os indivíduos voltem à vida tão comuns quanto se poderia esperar", disse o ministro francês da Saúde, Olivier Véran.

De qualquer forma, algumas nações estão atualmente no auge das contaminações diárias de Covid: como França (normal de 338 mil novos casos por dia, nos últimos sete dias), Alemanha (153 mil), Holanda (62 mil), Dinamarca (45 mil) , Áustria (33 mil) e Bélgica (51 mil). Algumas nações têm efetivamente visto uma queda desde o topo em janeiro, como Itália, Espanha e Reino Unido.

Veja as novas medidas tomadas por certas nações ultimamente.

Dinamarca

Em 18 de dezembro, a Dinamarca havia anunciado um bloqueio incompleto, apesar de um aumento na quantidade de casos de omicron.

Após um mês, em 17 de janeiro, quando a Dinamarca registrou um número recorde de casos de Covid em um dia solitário (28.780), especialistas devolveram filmes, teatros, centros históricos e diferentes espaços. Os jogos também voltaram para a sociedade em geral, mas com limite restrito.

Na segunda-feira (31/1), o poder público tornou as ações significativamente mais adaptáveis, proclamando que o Coronavirus "não deve ser visto atualmente como uma infecção socialmente genuína" após esta data.

Atualmente, os véus geralmente não são necessários em veículos abertos. Os cafés podem permanecer abertos o tempo que precisarem e não há mais corte aberto para ocasiões. As identificações de imunização geralmente não são necessárias em muitas manchas. Uma das poucas limitações que realmente existe é a utilização de coberturas em asilos.

Na Dinamarca, 85% da população recebeu duas porções da imunização, e 61% conseguiram a terceira parcela de patrocinadores - talvez a taxa mais notável do planeta.

Reino Unido

O Reino Unido foi uma das nações geralmente impactadas pela variação do omicron. Em apenas alguns dias em dezembro, o número normal de novos casos de Covid-19 saltou de 50.000 todos os dias para mais de 200.000. A quantidade de internações e passagens também aumentou, porém de forma menos significativa.

O governo britânico executou um "Plano B" para combater o omicron, com a chegada de medidas que até agora estavam soltas, como a necessária utilização de coberturas. O Reino Unido avançou sua missão de exortar os indivíduos a obter sua terceira parte da imunização e testar-se de vez em quando. Os testes de antígeno são desinibidos disseminados para a população.

No Reino Unido, 77% dos indivíduos receberam duas porções da imunização - e 54% têm um apoiador.

As diretrizes mudam no Reino Unido por distrito - mas todas foram afrouxadas este ano. O uso de capas ainda é necessário em veículos abertos em certos pontos (como Londres e País de Gales).

O poder público está capacitando todos a voltarem ao trabalho pessoal.

França

Fevereiro será o mês de retomada da França, como indicado por novas diretrizes que acontecerão ao longo do tempo. Praticamente movimentos de todos os tipos voltarão aos negócios como de costume. A partir de quarta-feira (2/2), as arenas podem funcionar no limite total mais uma vez

Seja como for, a maioria dos exercícios exigirá evidências de imunização. A utilização de coberturas em pontos fechados é adicionalmente obrigatória. A autoridade pública abandonou a sugestão de que os indivíduos se teletransportam. Os clubes serão retomados no mês.

De acordo com os especialistas, a etapa subsequente para acabar com as limitações contra a pandemia é deixar a identificação do Coronavirus, mas ainda não há um número para que isso ocorra.

Na França, 76% dos indivíduos receberam as duas doses do anticorpo - e 47% conseguiram o apoiador.

Países Baixos

Os Países Baixos foram uma das nações que forçaram as limitações mais pesadas durante a explosão do omicron de dezembro. Bares, restaurantes e salas de exposições foram fechados.

Todos os dias os casos de Coronavírus ainda estão se expandindo nos Países Baixos, no entanto a autoridade pública do primeiro-ministro Mark Rutte está sendo obrigada por algumas áreas monetárias a permitir o retorno.

Trabalhadores e visionários de negócios na área de bares e cafés ficaram chocados que alguns exercícios - como centros de recreação, lojas, salões de beleza e trabalhadores do sexo - tinham obtido autorização para serem retomados em janeiro. Alguns centros históricos e teatros até trabalharam como salões de beleza por um dia, como uma espécie de dissidência contra o poder público.

A retomada será progressiva. Os clubes permanecerão fechados e os empreendimentos de longo alcance devem ser realizados com um limite restrito de até 1.250 pessoas.

Cerca de 90% dos holandeses foram imunizados - e 48% ficaram com a terceira parcela.

Espanha

Desde 29 de janeiro, a Espanha voltou a permitir que indivíduos vão a bares e cafés sem limitações. Não há mais evidência de inoculação.

Os indivíduos podem se encontrar novamente abertamente - sem a limitação de até dez indivíduos dentro.

O procedimento é essencial para que o trabalho da administração de Pedro Sánchez comece a tratar o Covid-19 como uma gripe e não como uma peste, como tem sido desde pouco tempo.

O pensamento é parar de tratar o Coronavírus como uma emergência e assumir um modelo de "controle", como o que ocorre com diferentes doenças, como o sarampo.

A Espanha tem talvez o ritmo mais notável de inoculações na Europa - 82% dos indivíduos têm duas doses, e 46% um terço. 

Áustria

A partir de sábado (5/2), lojas e cafés vão querer retomar até tarde na Áustria.

A nação tinha tomado uma quarentena para indivíduos não vacinados. Atualmente, o bloqueio terminou para todos - inoculados ou não.

Seja como for, a Áustria se transformou no principal país europeu para obrigar cada um de seus residentes a serem vacinados. O compromisso acontecerá na quinta-feira (3/2) e caducará em janeiro de 2024, podendo ser encerrado antes, assumindo que a pandemia permita. Especialistas começarão a olhar para o estado de inoculação dos indivíduos a partir de meados de março.

As pessoas que não serão inoculadas contra o Coronavirus enfrentarão multas que vão de 600 a 3.600 euros (R$ 3.500 a R$ 21.000). Certos indivíduos podem ser absolvidos do compromisso, incluindo mulheres grávidas.

Cerca de 72% dos austríacos estão completamente inoculados - 48% com a parte do promotor.

Diferentes nações

A Finlândia disse que seu quadro de serviços médicos ainda estava sob tensão, com grandes quantidades de internações, no entanto, que houve uma queda nos casos mais extremos. Posteriormente, a nação está expandindo as horas que levaram em consideração a abertura de restaurantes. Os bares precisam chegar perto das 18h.

A Grécia permitiu novamente que restaurantes e bares tivessem música, da mesma forma com horas mais adaptáveis. A utilização de véus permanece obrigatória em supermercados e veículos públicos, e os jogos seguirão os limites públicos.

Medidas comparativas foram tomadas na Bélgica, onde 89% dos indivíduos receberam duas porções da imunização e mais de 65% ficaram com um terço.

A Suécia afrouxou certas ações, diminuindo a desconexão essencial de sete a cinco dias para os indivíduos que vivem com alguém que tentou positivo para coronavírus. A nação tem enfrentado deficiências de trabalhadores fundamentais, como policiais e trabalhadores de cuidados médicos.

Na Alemanha, onde a quantidade de casos continua aumentando, especialistas financeiros têm solicitado que o poder público o coloque no calendário para acabar com algumas limitações. O próprio ministro das Finanças, Christian Lindner, disse que é importante abrir um discurso para devolver a economia.

As tensões comparativas se aplicam na Suíça, onde uma revisão mostra que 40% das organizações no país estão experimentando uma deficiência de trabalhadores devido ao Coronavirus.

Postar um comentário

0 Comentários