Polícia apura sumiço de menina de 14 anos que pediu socorro por Whatsapp à família

Header Ads Widget

Ticker

6/recent/ticker-posts

Polícia apura sumiço de menina de 14 anos que pediu socorro por Whatsapp à família

Menina de 14 anos desapareceu enquanto ia para a casa da mãe em Itapevi (SP) - Foto: Reprodução/Redes Sociais

A Polícia Civil de São Paulo apura o desaparecimento de uma garota de 14 anos no litoral paulista. De acordo com a família, Raissa Piovezan, de 14 anos, não dava sinal de vida há uma semana e contatou a família por uma ligação de vídeo. Na chamada, a jovem aparentava ter o rosto bastante machucado e afirmou estar em Bertioga. As informações são do portal G1.

Um suposto pedido de ajuda realizado via Whatsapp é investigado pela polícia na tentativa de localizar a jovem. Elias Piovezan, pai de Raissa, disse que a menina desapareceu no último dia 26, depois de ter deixado a casa do avô paterno. O desaparecimento está sendo apurado na Delegacia de Polícia de Itapevi.

“Eu a deixei no avô e disse a ela para ir depois direto para a casa. Dei um beijo na bochecha dela, disse para se comportar e na hora de ir embora não dar confiança para ninguém”, conta ao G1.

Segundo o avô da menina, ele deu dinheiro para que ela comprasse um salgadinho e Raíssa afirmou que iria direto para sua casa e depois para casa de sua mãe. De acordo com o pai, ela teria dito o mesmo a sua melhor amiga, uma adolescente de 17 anos.

Apesar do que disse ao avô e a amiga, Raissa não chegou a casa a sua casa e nem chegou a ver sua mãe, que mora em Itapevi.

“Quando eu liguei e pedi para falar com ela, o Elias me perguntou se ela não estava comigo”, explica Silvia de Souza Marques ao G1.

Diante do desespero gerado pelo sumiço, os pais começaram a indagar os amigos da jovem para coletar informações sobre seu paradeiro. Raíssa, que não tem celular, mandou uma mensagem para a mãe em uma rede social pedindo para que Silvia ligasse a um número de telefone desconhecido.

“Eu fiz uma chamada de vídeo para ver onde ela estava. Quando ela virou a câmera, eu vi o rosto dela todo machucado”, conta Silvia. Segundo a mãe, a chamada durou poucos segundos, Raíssa afirmou que estava em Bertioga e desligou.

No mesmo dia, a mãe mandou uma nova mensagem para a menina pedindo sua localização e aconselhando a filha a sinalizar se estava em perigo. Raíssa afirmou que sim, mas depois não fez contato com a família novamente.

“Eu não sei mais o que eu faço. A Raissa não tem nenhum conhecido em Bertioga, ninguém. Ela só tem 14 anos, é baixinha, do tamanho de uma criança de 11 anos. Eu não sei o que aconteceu”, lamenta a mãe ao G1.

Fonte: g1

Postar um comentário

0 Comentários