Jovens desaparecem a caminho da praia e pedem socorro em áudio: 'Vão matar a gente'

Header Ads Widget

Ticker

6/recent/ticker-posts

Jovens desaparecem a caminho da praia e pedem socorro em áudio: 'Vão matar a gente'

Vitória Cristina da Conceição, de 13 anos, que está desaparecida desde o dia 2 de setembro (Foto: Arquivo Pessoal)

Duas jovens, uma de 21 anos e uma adolescente de 13, desapareceram enquanto iam à praia no distrito de Outeiro, em Belém, no Pará. A Polícia Civil do Estado investiga o caso, que foi registrado no dia 2 de setembro. As duas foram localizadas somente na noite de segunda-feira (7).

De acordo com a família das jovens, ouvidas pelo Uol, Vitória Cristina da Conceição, de 13 anos, teria ido visitar uma amiga e de lá se deslocou à praia com uma colega que havia conhecido no dia anterior, Marcela Tayane, de 21 anos, que também sumiu.

Em um áudio enviado por Marcela ao seu próprio pai e a uma amiga, a jovem contou que, antes de chegar à praia, elas foram raptadas por homens armados em um carro vermelho.

A versão foi confirmada pela família de Vitória, que, assim como a família de Marcela, prestou depoimento à Polícia Civil.

"Marcela estava com o celular escondido e mandou um áudio pedindo socorro, porque homens armados a sequestraram. Ela disse que já tinham apanhado muito. Vitória falava ao fundo: 'Tia, socorro, vão matar a gente'. Acho que pegaram este celular [depois disso] porque não tivemos mais contato", relatou Jaqueline Carvalho, 40, uma das tutoras da adolescente ao Uol.

De acordo com a família de Vitória, a adolescente não tem envolvimento com atos infracionais, [e evangélica e mora com as tias e avó materna. Segundo o Uol, a mãe da jovem passa por tratamento de esquizofrenia e o pai não manteve mais contato após o nascimento.

Ainda segundo o Uol, no dia seguinte ao desaparecimento, o localizador do celular de Marcela apontou para uma chácara em um bairro diferente de onde desapareceram. A Polícia Militar foi ao local em duas ocasiões.

No dia 3 de setembro, sem mandado autorizando a entrada, permaneceu em frente ao local esperando alguma movimentação suspeita. Nada ocorreu. No dia seguinte, com mandado expedido pela Justiça, entraram no imóvel, mas nada foi encontrado.

A Polícia Civil informou ao Uol que as investigações estão sob sigilo e "que as buscas para localizar a adolescente e a jovem estão sendo feitas por uma força-tarefa composta por equipes da unidade policial de Outeiro, Delegacia de Pessoas Desaparecidas, Divisão de Atendimento ao Adolescente (DATA) e Núcleo de Inteligência Policial (NIP), além do apoio de militares do Comando de Policiamento da Capital".

FONTE: Yahoo Notícias

Postar um comentário

0 Comentários