728x90

'Fez papel de estar sofrendo e me abraçou no velório', diz pai sobre ex de estudante encontrada morta

Ex-marido da estudante foi preso neste sábado (25) em Campo Grande — Foto: Alexandre Cabral/TV Morena

Pai diz que suspeito enganou a todos da família de Maria Graziele de Souza, além da próprios parentes dele. Na delegacia, ele confessou o crime e permanece preso.


Presente no velório da estudante de 21 anos, que estava desaparecida desde o dia 14 de abril, em Campo Grande, o ex-marido dela, de 26 anos, foi preso e confessou o crime. No entanto, conforme o pai da vítima, antes ele fez "um papel que enganou a todos da família de Maria Graziele de Souza, além da próprios parentes dele".

"Eu estou chocado com o teatro que ele fez, de marido sofrendo. Me abraçou no velório, estava presente conosco desde que a matou, fazendo esse papel com todos nós e até a família dele. E depois de preso, lá na delegacia, ele confessou o crime e falou de ciúmes", afirmou ao G1 o pai de Maria Graziele, o aposentado Stephan Hofmann, de 69 anos.

Segundo o pai, foram inúmeras as conversas que ele teve com a filha e o ex-marido dela. "Eles ficaram juntos por muito tempo, eram muito novos quando se conheceram e eu estava sempre acompanhando, dando conselhos. Esse é o papel de pai que existe em todas as fases da vida. E quando a minha filha não quis mais, aconteceu isso. É muito triste, lembro de todas as conversas com eles no passado", lamentou emocionado.

Polícia busca jovem desaparecida há 3 dias em MS — Foto: Redes Sociais/Divulgação

O aposentado, mesmo separado da mãe da jovem, disse que mantém contato diário com ela e está dando apoio no que é possível. "Soube que ela mandou uma cesta café da manhã para ele na noite anterior ao desaparecimento e depois mandou uma mensagem de parabéns, mas, ela não queria mais. Conheço a minha filha, ela é muito forte e quando decide algo, é aquilo. Ela me disse pouco antes: 'não quero ficar na dependência de homem que não me entende e não cresce comigo'. É insuportável agora viver isso", ressaltou.

Ainda de acordo com Stephan, que faz trabalhos voluntários há décadas com crianças e adolescentes, a intenção agora é continuar ajudando as pessoas e, futuramente, ter um projeto que ajude mulheres a lutarem contra o machismo.

O suspeito foi levado para a Delegacia Especializada em Repressão à Homicídios (DEH), onde o inquérito do desaparecimento foi instaurado e está sob investigação do delegado Carlos Delano.

Desde o início do registro do boletim de ocorrência, quando a polícia fez buscas e encontrou documentos da estudante na casa do suspeito, além de saber do ciúme de ambos, havia a suspeita sobre ele, porém, a intenção era "não levantar alarde" para o suspeito não fugir.

O jovem então teve a prisão temporária decretada e o mandado foi cumprido na casa dele, no Parque do Lageado. Com a confissão e demais provas dos autos, o rapaz deve ser indiciado por feminicídio, com pena máxima que pode chegar a 30 anos de reclusão.

FONTE:G1

Postar um comentário

0 Comentários