728x90

Padrasto de menina morta pela mãe é preso e já planejava fuga

Suspeito será ouvido nesta terça-feira na Delegacia de Polícia Civil de Brasilândia 

A polícia investiga denúncias de que ele abusava sexualmente da vítima. O crime foi confirmado no depoimento do irmão da menina

A Polícia Civil de Brasilândia – a 382 quilômetros de Campo Grande – prende na tarde desta segunda-feira, 23 de março, o padrasto da menina de 10 anos assassinada pela própria mãe. Uma das hipóteses investigada é a de que a menina foi morta após relatar abusos sexuais cometidos pelo suspeito.

O pedido pela prisão preventiva do homem foi feito após o irmão da jovem, um adolescente de 13 anos, prestar depoimento relatando os detalhes da briga que terminou com o assassinato da criança.

Com mandado de prisão em mãos, a equipe da Delegacia de Polícia Civil da cidade conseguiu localizar e prender o suspeito. Ao Campo Grande News o delegado Thiago José Passos da Silva relatou que o alvo se preparava para deixar a cidade quando foi capturado. Para isso, estava em contato com alguns familiares para viabilizar a fuga.

O suspeito será ouvido pelo delegado nesta terça-feira, 24 de março. Entre os questionamentos, a intenção é esclarecer o possível crime de estupro de vulnerável e eventual participação dele no homicídio.

Entenda o crime – Acompanhado por conselheira tutelar, o irmão da vítima contou detalhes importantes do assassinato a polícia. E ele disse que estava jogando bola e, por volta de 14h30 de sábado (dia 21), voltou para a casa e encontrou a mãe e a irmã brigando.

Quando o viu, a mãe fez a seguinte afirmação: “ela não vai viver mais porque essa menina é mentirosa”, contou o menino. Na sequência, a mulher também disse que a menina relatou que o padrasto foi autor de abuso sexual contra a jovem. Nesse momento, o homem estava dormindo.

Segundo a versão do adolescente, a mulher então pegou um fio de solda e visivelmente embriagada, ameaçou: “vou acabar com a vida dela porque não quero que minha filha fique mal falada”. Por ordem, da mãe, os dois filhos entraram no carro. Ela dirigiu até uma estrada após o aterro municipal, margeada por mata e plantação de eucalipto.

Ali, parou o carro e os dois irmãos desceram e correram. Porém, lembrou o adolescente, a menina foi alcançada e começou a gritar. Quando ouviu silêncio, ele se aproximou das duas e viu a mãe estrangulando a irmã. Quando ela estava inconsciente, ajudou a mulher a ocultar o corpo.

O menino relatou que a criança foi colocada de cabeça para baixo num buraco, mas ainda estava viva e pediu socorro. “Que alega que sua irmã já estava dentro do buraco, quando ouviu ela gritar, dizendo socorro e mexeu os pés. E que nesse momento já tinha jogado terra sobre o seu corpo e sua mãe pisava por cima para socar a terra”, descreve parte do seu depoimento. Depois do assassinato, a os dois voltaram para casa. Pouco depois, a autora se entregou a polícia.

FONTE: CAMPO GRANDE NEWS

Postar um comentário

0 Comentários