728x90

Professora que morreu de dengue em MS compartilhava fé e lutava pela valorização da profissão

Professora de letras, Dúnia Safa, de 24 anos — Foto: Facebook/reprodução

Dúnia Safa, de 24 anos, foi sepultada na manhã desta sexta-feira em Corumbá.


A professora de letras, Dúnia Safa, de 24 anos, que morreu de dengue em Corumbá, na região do Pantanal, foi sepultada na manhã desta sexta-feira (7) no município. Amigo e familiares prestaram a última homenagem a educadora que faleceu na madrugada de quinta-feira (6), em decorrência de complicações da doença, em quadro que evoluiu para pneumonia.

Amigos próximos lembraram da grande demostração de fé da jovem que pode ser vista nas postagens dela nas redes sociais. Em uma delas Dúnia escreveu:

"Das coisas mais bonitas que conheço, agradecer é uma delas. Reconhecer que Deus nos presenteia com milagres - diariamente - é não perder a delicadeza de ver o quão a vida é bela"
Dúnia também era uma amante da profissão que escolheu e lutava pela valorização da categoria, em outra postagem ela cita o quão o professor é importante na sociedade.

"Nesta noite (ou manhã, ou tarde), em algum lar, um(a) professor(a) está preparando a aula para seu filho na escola, enquanto você trabalha ou assiste TV. Neste mesmo minuto, professores do mundo todo estão usando o "tempo livre" deles, muitas vezes gastando do próprio bolso, para a educação, prosperidade e futuro do seu filho. Copie e cole esta mensagem se você é professor ou se valoriza os professores", escreveu.

A jovem estava internada desde o dia 13 de janeiro. De acordo com a Secretaria de Saúde de Corumbá, no início deste ano foram confirmados 112 casos no município, com 1.449 notificações, é mais que o todo o número de 2019, quando foram registradas 1.403 notificações.

É a segunda morte por Dengue em Corumbá em 2020, a décima no estado no ano. No dia 9 de janeiro, a vigilante Lucian Andrade, de 29 anos, foi a primeira vítima. Mato Grosso do Sul notificou entre os dias 1º de janeiro e 4 de fevereiro 9.053 casos de dengue.

FONTE: G1

Postar um comentário

0 Comentários