728x90

'Ela era um amor com a filha', diz tio de criança morta no DF; mãe é suspeita

Polícia Civil faz perícia em apartamento onde menina de 2 anos e 2 meses foi morta a facadas, no DF — Foto: Luiza Garonce/G1

Mulher foi presa por esfaquear criança de 2 anos na casa do pai, em Vicente Pires. Polícia Civil investiga.


A mulher de 21 anos – presa por matar a filha de 2 anos e 2 meses – mantinha uma "boa relação" com a criança, segundo familiares. A menina foi assassinada a facadas na manhã desta quinta-feira (13), em Vicente Pires, no Distrito Federal.

Segundo o tio da criança, Igor Felix Araújo da Costa, a bebê levou pelo menos duas facadas no peito. Laryssa Moraes – mãe da menina – foi levada para delegacia e prestou depoimento. "Ninguém imaginava que poderia acontecer isso", disse o tio.

"Aparentemente era uma relação boa, é até estranho acontecer isso. Ela era um amor com a filha dela. Matar a própria filha é loucura."
O crime ocorreu na casa do pai da menina, Giuvan Felix, de 25 anos. Segundo Igor, o casal – Giuvan e Laryssa – teve um "relacionamento casual" e, apesar de morarem na mesma casa, na Colônia Agrícola Samambaia, os dois estavam separados há dois meses. "Ela precisou de ajuda para vir a Brasília e ficou lá", conta.

Ainda na delegacia, Igor disse à reportagem que após o crime conversou com o irmão – pai da criança assassinada – e ele estava "arrasado".

"Ele contou que acordou com a Laryssa apontando uma faca para o rosto dele, e quando ele olhou ,a menina estava na sala com dois furos no peito."
Ainda de acordo com o tio, a família agora busca respostas pelo crime. "Sem explicação. Não conseguimos saber nem fazer nada", lamenta. O G1 tenta confirmar o nome da criança e a identidade da mulher detida.

Investigação

De acordo com a Polícia Militar, quando os militares chegaram, a mulher estava ao lado do corpo da filha e teria dito que "não sabia por que tinha feito aquilo".

No local, vizinhos disseram à reportagem que ouviram o choro da criança durante a noite e que a mãe da menina teria tido uma "crise de ciúmes".

Aos policiais, o pai da vítima disse que a companheira faz uso de drogas e de álcool, mas que na hora do crime ela não havia consumido nada. Uma equipe do Samu chegou a ir até o local e constatou o óbito da menina.

A mulher não resistiu à prisão e foi levada à 12ª Delegacia de Polícia (Taguatinga). O homem também foi encaminhado à DP para prestar depoimento.

FONTE: G1

Postar um comentário

0 Comentários