COMPARTILHE


 Clique aqui para entrar
Clique para entrar ������

Jovem que afirmou estar grávida para reatar casamento e fez até pulseirinha de maternidade mentiu, aponta laudo

Polícia apreendeu falsa pulseira de maternidade criada pela jovem em MS — Foto: Polícia Civil/Divulgação

Trama em MS envolveu todas as forças policiais na busca de suposto feto, após mulher informar data da cesariana e depois dizer que bebê teria morrido durante o parto.


A Polícia Civil recebeu o laudo de exame de corpo de delito e sexologia forense, na qual comprova que a jovem de 20 anos mentiu ao afirmar estar grávida. Segundo a investigação, ela premeditou a ação, criando perfil falso no Facebook, além de participar de chá de bebê, colocar suposto curativo e até informar os familiares de uma suposta data da cesariana. A intenção, ainda conforme a polícia, era reatar o relacionamento com o ex.





"O exame era pra comprovar a gravidez ou então algum parto recente. No entanto, nada foi constatado. O material será agora encaminhado ao Ministério Público", afirmou ao G1 a delegada Célia Bezerra, responsável pelas investigações.

Mobilização policial
No dia 26 de outubro do ano anterior, a jovem foi levada para a delegacia, com a intenção de prestar esclarecimentos na 4ª Delegacia de Polícia, em Campo Grande. Além de dizer que estava grávida, ela também falou da morte do bebê e, com isso, todas as forças policiais foram acionadas. A trama somente foi descoberta quando ela confessou e os policiais apreenderam até uma falsa pulseirinha e curativo de suposto exame de sangue feito no Hospital Universitário (HU).





"Foi mexida com toda a máquina da delegacia, parou o Imol [Instituto de Medicina e Odontologia Legal]. Estamos no caso desde às 9 horas da manhã, procurando um bebê que, na verdade, nunca existiu. Agora nós levamos toda a família e ela para a delegacia, onde será feito um boletim de ocorrência por preservação de direito. Ela premeditou tudo e inventou a gravidez para reatar o relacionamento", afirmou na ocasião a delegada.

Entenda o caso
A notícia da gravidez, conforme a polícia, ocorreu no início do ano de 2018. Desde então, ela disse que sairia do emprego porque precisaria cuidar da criança. Recentemente, o marido a acompanhou em um posto de saúde, mas, permaneceu ao lado de fora enquanto ela recebia atendimento. Outro fato relatado por parentes é que, como a jovem era considerada obesa, ninguém desconfiou do fato da barriga não estar aparecendo.





"Ela somente confessou o crime quando nós a informamos que poderia ser indiciada por homicídio com ocultação de cadáver. O pessoal do Imol nos ligou, dizendo que o sogro da menina estava atrás do feto, mas, não sabia onde estava porque a jovem não falava. Então, nossa investigação inicial foi de apurar uma morte ou até mesmo venda de um bebê", explicou Bezerra.
Perfil falso criado por jovem que fingiu gravidez e mentiu sobre parto enviava mensagens para a família dela como se fosse sua amiga. — Foto: G1 MS

Com as buscas, a polícia a localizou no Jardim Itamaracá, região leste da cidade. "Nós continuamos apurando durante a manhã e não encontramos nem registro de atendimento no SUS [Sistema Único de Saúde]. Os parentes então disseram que ela estava com uma amiga no Aero Rancho. No entanto, o que ela fez foi um falso perfil no facebook de uma suposta amiga de infância, de nome Carolina Honório, onde ela mandou mensagem para os pais dizendo que perdeu o bebê e esta amiga estaria ajudando", comentou a delegada.





Já na casa da suspeita, a polícia apreendeu uma falsa pulseirinha que ela fez com folha sulfite e fita adesiva. "Com as contradições, começamos a desvendar toda a história, que durou quatro horas de buscas e ainda temos o dia para ouvir testemunhas. Hoje seria o dia que ela avisou todo mundo sobre a cesariana, mas, de uma gravidez que nunca aconteceu", finalizou.


Fonte: G1 MS

Compartilhe no Google Plus

Sobre Itaquirai News

Itaquirai News Seu Portal de Noticias de Itaquirai e Região

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe Seu Comentário...