COMPARTILHE


 Clique aqui para entrar
Clique para entrar 👆👆👆

Polícias descobrem consórcio de drogas

Somente neste ano mais de 6 toneladas de droga foram incineradas na cidade (Ficco/Divulgação)

A apreensão de um carregamento de drogas na última terça-feira na MGC-497, a cerca de 15 km de Uberlândia, revelou a existência de um esquema bem maior de tráfico e de distribuição a partir de Uberlândia para outros estados. Os 770 kg de maconha e skunk apreendidos – a princípio foram divulgados cerca de 500 kg -, pertencia a uma organização criminosa que iria distribuir a droga na cidade e municípios da região, além de Belo Horizonte e até nos estados do Rio de Janeiro e São Paulo.





Além do motorista do veículo usado no transporte da droga, outros quatro criminosos foram presos em Dourados (MS), também na noite de terça-feira, com mais 5 toneladas dos mesmos tipos de droga. Eles foram pegos em flagrante, enquanto tentavam despachar o material ilícito para Uberlândia, em um caminhão de mudanças de uma empresa especializada.

O esquema foi desarticulado depois de seis meses de investigações, em um trabalho conjunto das polícias que formam a Força Tarefa de Combate ao Crime Organizado (Ficco) – Federal, Militar, Civil, Rodoviária Federal e Sistema Prisional. Segundo o delegado da Polícia Federal (PF) Carlos Henrique Cotta D’ângelo, os criminosos trabalhavam em uma espécie de consórcio, a fim de dividir os custos com a compra da droga e a logística do transporte. “Traficantes do Rio, São Paulo e Belo Horizonte encomendavam a maconha, o haxixe e o skunk. Esse grupo de Uberlândia ia até o Mato Grosso do Sul, comprava dos traficantes de lá e trazia para cá, de onde era distribuído para quem encomendou. O armazenamento geralmente era na zona rural de Uberlândia”, disse D’ângelo.




Além do motorista de 24 anos que trazia os 770 kg de droga para Uberlândia em um carro de passeio roubado, um Kia Cerato, os integrantes da Ficco ainda prenderam outras 4 pessoas em Dourados (MS), enquanto carregavam um caminhão com mais 5 toneladas de entorpecentes. Uma transportadora foi contratada para trazer uma mudança para Uberlândia, mas entre os móveis, estavam caixas de maconha, skunk e haxixe. De acordo a investigação, o motorista e um dos chapas sabiam da existência da droga, mas a empresa não tem envolvimento no crime. Dois cabeças do grupo, que são de Uberlândia, foram pegos durante esse flagrante. Além deles, outras 7 pessoas ligadas a mesma quadrilha foram presas em outras ocorrências de tráfico, num total de 12 prisões em sete flagrantes, a maioria em Uberlândia, e mais de 10 toneladas de drogas apreendidas.

Segundo a inspetora Jane Santos, da Polícia Rodoviária Federal (PRF), uma equipe de policiais de Uberlândia foi para Dourados (MS) e junto de outros homens da mesma corporação de lá acompanhou as prisões dos quatro homens que carregavam o caminhão de mudanças com droga. “A transportadora foi contratada para trazer a mudança para Uberlândia, tinham alguns móveis antigos para disfarçar, mas a Ficco já tinha repassado a informação de que havia drogas. Eles não resistiram à prisão”, afirmou Jane.





De acordo com o tenente Vitor Pereira, da Polícia Militar (PM), que participou da prisão do motorista do veículo interceptado entre a divisa de Uberlândia e Prata, os 770 kg de maconha e skunk estavam distribuídos em todas as partes do carro, sem nenhum tipo de disfarce. “O carro é roubado e estava abarrotado de drogas. Como estava muito pesado, impossibilitou qualquer tentativa de fuga”, disse.
O jovem preso já tinha passagens por tráfico de drogas e clonagem de veículos e está detido no Presídio Jacy de Assis. Os outros 4 criminosos, pegos em Dourados, permanecem naquela cidade.

Uberlândia
Maior centro de distribuição de drogas de Minas

Essa é a terceira maior apreensão de drogas em Uberlândia neste ano. No dia 13 de maio, foram apreendidos 1.112 kg de maconha na MGC 497, no sentido Prata-Uberlândia, trazidos em uma Pajero. Duas pessoas foram presas e uma está foragida. No dia 8 de julho, um motorista foi pego com 681 kg de maconha e skunk, que percorreram 764 km entre Campo Grande (MS) até chegar em Uberlândia num carro de passeio abarrotado de droga até no teto. O Prisma branco, dirigido por um rapaz de 23 anos, foi localizado na entrada da cidade, estacionado no pátio de um posto na BR-365.





Segundo Carlos D’ângelo, só neste ano, 6 toneladas de drogas já foram incineradas em Uberlândia, além da apreensão de terça. Em 2017, cerca de 12 toneladas também foram levadas para incineração, enquanto em Belo Horizonte, por exemplo, 1 tonelada foi queimada durante o mesmo período.

De acordo com o delegado, Uberlândia já é conhecida como rota e depósito de traficantes de droga devido à localização privilegiada, com a malha viária que liga o município a várias partes do país. “Aqui é o maior centro de distribuição do Estado de Minas Gerais, onde mais droga é apreendida”, disse Carlos D’ângelo.

Fonte: Diário de Uberlândia

Compartilhe no Google Plus

Sobre Itaquirai News

Itaquirai News Seu Portal de Noticias de Itaquirai e Região

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe Seu Comentário...